Insights para sua Transformação Digital

O que é Cloud Security?

A computação em nuvem veio para auxiliar e facilitar a transformação digital, propondo serviços hospedados, incluindo software, hardware e armazenamento, pela internet.

Os benefícios de implementação rápida, flexibilidade, custos iniciais baixos e escalabilidade tornaram a computação em nuvem virtualmente universal entre organizações de todos os tamanhos, muitas vezes como parte de uma arquitetura de infraestrutura híbrida / multi-nuvem.

Porém, é preciso ter em mente que por muito tempo as empresas mantiveram seus arquivos de forma física, dentro do seu controle. A descentralização, mesmo que parcial, desse controle pode acarretar uma certa insegurança, principalmente em gestões mais tradicionais.

Por isso, surgiu a necessidade de se trabalhar a segurança na nuvem. O Cloud Security ou Segurança na Nuvem, refere-se às tecnologias, políticas, controles e serviços que protegem os dados, aplicativos e infraestrutura da nuvem contra ameaças. Continue a leitura e saiba um pouco mais sobre a segurança na nuvem e a sua importância para os negócios atuais.

Por que você deve entender minimamente sobre Cloud Security?

De uma forma bem resumida, o Cloud Security diz respeito aos procedimentos e as tecnologias utilizadas para proteger os ambientes de computação em nuvem contra ameaças de segurança cibernética, sejam elas internas ou externas.

Boas práticas de segurança, assim como bom gerenciamento de segurança em nuvem são fundamentais para impedir acessos não autorizados, além de manter os dados e aplicados, armazenados na nuvem, protegidos contra ataques cibernéticos.

Com a transformação digital ocorrendo de forma quase que simultânea em diversas organizações, trabalhar com a nuvem já é uma realidade para muitas empresas. Por isso adotar medidas e soluções de segurança nunca foi tão importante, tornando-se essencial avaliar e desenvolver estratégias para proteger os dados.

De quem é a responsabilidade pelo Cloud Security? Da sua equipe ou do seu provedor de serviços?

É importante esclarecer que a segurança na nuvem é uma responsabilidade compartilhada entre o provedor de nuvem e o cliente. As responsabilidades de segurança que são sempre do provedor estão relacionadas à proteção da infraestrutura em si, bem como ao acesso, correção e configuração dos hosts físicos e da rede física na qual as instâncias de computação são executadas e o armazenamento, e outros recursos residem.

As responsabilidades de segurança que são sempre do cliente incluem o gerenciamento de usuários e seus privilégios de acesso (gerenciamento de identidade e acesso), a proteção de contas em nuvem contra acesso não autorizado, a criptografia e proteção de ativos de dados baseados em nuvem, e o gerenciamento de sua postura de segurança (conformidade).

Quais são os principais desafios de Cloud Security para pequenas equipes de TI?

Como a nuvem pública não tem perímetros claros, ela apresenta uma realidade de segurança fundamentalmente diferente. Isso se torna ainda mais desafiador ao adotar abordagens de nuvem modernas, como métodos automatizados de Integração Contínua e Implantação Contínua (CI / CD), arquiteturas sem servidor distribuídos e ativos como funções ou como um serviço e contêineres.

Alguns dos desafios de segurança da nuvem e as várias camadas de risco enfrentadas pelas organizações hoje incluem:

Aumento da Superfície de Ataque

O ambiente de nuvem pública se tornou uma superfície de ataque grande e altamente atraente para cibercriminosos, que exploram portas de entrada em nuvens mal protegidas para acessar e interromper cargas de trabalho e dados na nuvem. Malware, Zero-Day, Account Takeover e muitas outras ameaças maliciosas tornaram-se uma realidade diária.

Visibilidade e Rastreamento

No modelo IaaS, os provedores de nuvem têm controle total sobre a camada de infraestrutura e não a expõem a seus clientes. A falta de visibilidade e controle é estendida ainda mais nos modelos de nuvem PaaS e SaaS. Os clientes da nuvem muitas vezes não conseguem identificar e quantificar com eficácia seus ativos de nuvem ou visualizar seus ambientes de nuvem.

Mudanças dos Ativos de Trabalho

Os ativos da nuvem são provisionados e desativados dinamicamente – em escala e velocidade. As ferramentas de segurança tradicionais são simplesmente incapazes de aplicar políticas de proteção em um ambiente tão flexível e dinâmico com suas cargas de trabalho efêmeras e em constante mudança.

DevOps, DevSecOps e Automação

As organizações que adotaram a cultura DevOps CI / CD altamente automatizado devem garantir que os controles de segurança apropriados sejam identificados e incorporados ao código e aos modelos no início do ciclo de desenvolvimento. As mudanças relacionadas à segurança implementadas depois que uma carga de trabalho foi implantada na produção podem prejudicar a postura de segurança da organização, bem como aumentar o tempo de lançamento no mercado.

Granularização de Privilégio e Gerenciamento de Chaves

Frequentemente, as funções de usuário da nuvem são configuradas de maneira muito vaga, concedendo amplos privilégios além do que é pretendido ou exigido. Um exemplo comum é fornecer permissões de exclusão ou gravação de banco de dados para usuários não treinados ou usuários que não têm necessidade comercial de excluir ou adicionar ativos de banco de dados. No nível do aplicativo, chaves e privilégios configurados incorretamente expõem as sessões a riscos de segurança.

Ambientes Complexos

Gerenciar a segurança de maneira consistente nos ambientes híbridos e multi-nuvem preferidos pelas empresas atualmente requer métodos e ferramentas que funcionam perfeitamente em provedores de nuvem pública, provedores de nuvem privada e implantações locais – incluindo proteção de borda de filial para organizações geograficamente distribuídas.

O que pode ser feito estrategicamente para reforçar o Cloud Security do seu ambiente de TI?

Apesar de apresentar alguns desafios, é possível reforçar o seu Cloud Security, garantindo mais segurança para a nuvem, o que por sua vez manterá seus dados armazenados em segurança. Listamos aqui seis formas de aumentar a segurança da sua nuvem:

Criptografia como defesa dos dados manipulados

Todos os dados que são manipulados são de responsabilidade daquele que os estiver utilizando, por isso é de suma importância garantir a proteção desses dados. Uma excelente opção é adotar a criptografia para os dados que estejam tanto em trânsito como armazenados.

Monitoramento de comportamento dos micros serviços

Considerando que muitos dos micros serviços realizados estarão em contato direto com os dados armazenados, é importante que haja um processo de monitoramento, para que em casos de anomalias, estas sejam descobertas e comunicadas.

Invista na conscientização dos usuários

É normal que muitos colaboradores tenham acessos a vários dados, por isso é muito importante que todos tenham consciência da importância de mantê-los protegidos. Desta forma, investir em conscientização e informação é fundamental para manter todos rodando no mesmo sentido, dentro da mesma página e sempre prezando pela segurança.

Automação de políticas de segurança

À medida que a estrutura de armazenamento aumenta, cresce também a complexidade dessa estrutura, porém é fundamental que se mantenha o foco na administração de todos os componentes gerenciados. Por isso, a automação das políticas de segurança é tão importante, principalmente em empresas de maiores portes, visando a aplicação dessas políticas em todas as camadas de serviços e estruturas da organização, reduzindo assim a possibilidade de erros.

Controle o acesso a nuvem

Uma das grandes vantagens do armazenamento em nuvem é o acesso em qualquer lugar, a qualquer momento, basta um aparelho com acesso a internet e pronto. Porém tanta facilidade pode ser um grande problema. É preciso criar bons métodos de controle, definir quem terá acesso, assim como ao que. Também é importante limitar os aparelhos, para que estes sejam seguros.

Faça Backup

Por último, mas com certeza não menos importante, criar uma rotina de backup dos dados armazenados é primordial. Quando falamos em armazenamentos de dados, precisamos considerar que todo cuidado é pouco, por isso ter um segundo, ou até mesmo terceiro backup, das informações trará mais segurança.

Esse backup poderá ser armazenado também em nuvem, porém em outro servidor, ou até mesmo de forma física, se for possível mantê-lo em constante atualização. Desta forma, caso seja necessário, você poderá recuperar seus dados de forma rápida e tranquila.

Qual será o seu próximo passo?

Construir um programa contínuo de gerenciamento de segurança em nuvem para sua organização é fundamental. Como uma primeira etapa, você deve querer se familiarizar com as principais estruturas de segurança. Uma infraestrutura de nuvem segura é um requisito que toda empresa moderna deve atender para se manter competitiva.

Nós podemos te ajudar com isso! Conheça nossa Jornada Cloud Computing, a jornada foi desenvolvida para colaborar e orientar os times de tecnologia para tirar o máximo proveito da tecnologia em nuvem.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Outros artigos:

Sua empresa não tem antivírus? Saiba que riscos ela está correndo

Sua empresa não tem antivírus? Nos dias de hoje, algumas pessoas ainda se dão ao luxo de usar computadores pessoais sem antivírus, provavelmente por não manterem absolutamente nenhum arquivo importante na máquina. Por outro lado, quando falamos do mundo corporativo, é inimaginável pensar em um cenário em que ele não seja utilizado. Achou curioso? Pois saiba que vírus de computador pode não apenas causar uma severa perda de dados para a sua empresa, mas iniciar situações que podem acarretar muitos prejuízos para o seu negócio.

Leia Mais »

Mobilidade para PMEs

Parte do trabalho de quem está envolvido com a gestão empresarial de uma companhia, envolve a busca por processos que tornam o ambiente corporativo mais eficaz e moderno. Nos últimos anos, esse trabalho ganhou forças graças à tecnologia, que viabilizou rotinas mais flexíveis, convergentes e conectadas a rede.

Leia Mais »