Insights para sua Transformação Digital

O que é a Política de Segurança da Informação (PSI)?

Com o uso de recursos digitais, as empresas precisam lidar com uma crescente estrutura de TI em seus negócios. Um dos componentes mais relevantes atuais é a segurança cibernética, que precisa ser mantida para evitar riscos desnecessários para a sua empresa.

É nesse cenário em que entra a Política de Segurança da Informação, ou, PSI. Esse é um documento imprescindível para orientar e hierarquizar o acesso aos dados. A política descreve a efetividade de ações na hora de proteger informações e contém a descrição de procedimentos operacionais para orientação de toda a empresa.

Por mais que existem muitas empresas que possuem negócios e produtos semelhantes, no final das contas, não é possível comparar uma empresa com outra. Um exemplo disso é que cada negócio possui um apetite para riscos diferente, assim, a Política de Segurança da Informação deve estar em alinhamento com as estruturas de cada empresa.

Convidamos você a continuar a leitura do texto e perceber informações valiosas que podem ser usadas para criar ou atualizar a sua Política de Segurança da Informação com assertividade.

Por que a Política de Segurança da Informação é prioridade para a segurança cibernética?

A segurança da informação é responsável por proteger os dados da empresa, principalmente os categorizados como sigilosos, contra todo os tipos de ameaças e riscos como espionagem, sabotagem, ataques cibernéticos e até fatores físicos com incêndios e desmoronamentos.

A Política de Segurança da Informação (PSI) é o conjunto de ações, políticas, normas, procedimentos e boas práticas relacionadas ao uso seguro e proteção dos dados. Ou seja, trata-se de um documento ou manual que determina as ações mais importantes para garantir a segurança da informação do seu negócio considerando os principais cenários de riscos.

Para entender melhor, pense no Código de Conduta interno de uma empresa. Ele orienta as ações das pessoas dentro do ambiente corporativo, certo? A PSI funciona de maneira semelhante, só que trata da Segurança da Informação. Com a digitalização crescente nas empresas e com o ganho de importância da área de TI, ela é fundamental para garantir proteções adequadas.

Quais são os pilares de uma Política de Segurança da Informação?

Para que todos os aspectos recebam a devida atenção, a PSI leva em consideração alguns princípios básicos para o desenvolvimento da sua metodologia de proteção às informações da empresa. Sendo estes os princípios da Segurança da Informação.

1 – Confidencialidade: Deve-se garantir que a informação, fonte ou sistema seja acessível apenas às pessoas previamente autorizadas.

2 – Integridade: Garantir que dados terão sua originalidade e confiabilidade preservadas, adotando todas as precauções necessárias para que a informação não seja modificada ou eliminada sem autorização, mantendo sua legitimidade e consistência.

3 – Disponibilidade: Garantir o acesso aos dados sempre que necessário. As pessoas devem acessar os dados de maneira fluida, segura e eficiente.

Apesar de parecer uma elaboração opcional, a Política de Segurança da Informação deve ser encarada como sendo indispensável para o sucesso de uma estratégia de segurança cibernética. Acima de tudo, ela orienta como os dados devem ser protegidos, especialmente de concorrentes e outras pessoas não autorizadas. Portanto, é uma forma de manter elementos estratégicos longe de vazamentos.

Essa política ainda promove a homogeneização de atuação, de modo que todos saibam o que fazer e o que evitar. Para completar, ela serve para administrar corretamente emergências. Com um plano de contingência, é possível saber como agir para prevenir danos maiores nos dados.

Quais são as vantagens de uma Política de Segurança da Informação?

Muitas empresas vêm sofrendo com ataques à integridade dos seus sistemas, permitindo que suas informações críticas e confidenciais corram risco de serem corrompidas ou até mesmo perdidas, causando prejuízos imensuráveis. Uma PSI bem elaborada é capaz de reduzir de forma considerável esses riscos, proporcionando a empresa proteção contra ameaças, internas e externas, e falhas de segurança.

Com a divulgação das diretrizes de uso da informação a toda a equipe, garante-se que as pessoas estão cientes sobre os cuidados e procedimentos ao lidar com informações de diversos níveis de confidencialidade e importância, prevenindo contra violações acidentais.

Após a sua implantação, a PSI aumenta, de forma natural, a transparência e eleva a eficiência do negócio, criando um padrão para facilitar os fluxos dos processos. Executada de forma correta, as regras de segurança da informação reduzem de forma drástica os riscos de danos à infraestrutura de TI da empresa, o que impacta diretamente na qualidade da experiência do usuário e percepção de valor no mercado.

Por onde começar o desenvolvimento dessa política?

Para criar esse documento, é necessário seguir algumas etapas lógicas. Elas darão estrutura para a política e garantirão que ela seja tão efetiva quanto o esperado.

Avalie o fluxo de dados e informações dentro da sua empresa

Tudo deve partir de um entendimento sobre quais são os ativos de informação do negócio. Sem saber quais dados devem ser protegidos, é impossível ter sucesso na missão.
 Portanto, faça uma análise de quais são os dispositivos utilizados, o comportamento, as informações protegidas e os níveis de acesso que serão empregados. Ao reconhecer as principais necessidades, a política se tornará mais efetiva.

Revise os pilares da Segurança da Informação

A segurança da informação se baseia em três pilares: confidencialidade, integridade e disponibilidade. O primeiro determina que os dados só podem ser acessados por pessoas autorizadas, enquanto o segundo dispõe que somente quem tiver a permissão pode modificar as informações.

O terceiro estabelece que as informações precisam estar sempre disponíveis para os autorizados, conforme o solicitado. Ao seguir esses pontos, há maiores garantias sobre a efetividade de suas ações. Converse com os membros da equipe de Segurança da Informação, ou caso a sua empresa não possua, busque ajuda de uma consultoria especializada para orientar você e seu time sobre essa parte teórica.

Organize um grupo de pessoas para colaborar com esse documento

Embora a PSI deva incluir níveis de acesso à informação, hierarquização de permissões e controles de acesso, é importante que ela não seja definida de forma isolada.
 Como todas as pessoas serão afetados, o ideal é que os vários setores participem dessa elaboração. Assim, é possível atender a certas necessidades e reconhecer padrões de atuação, além de aumentar as chances de tudo ser seguido.

Crie processos de comunicação e instrução para todos conhecerem o documento

Quando a PSI estiver pronta, é fundamental que ocorra a comunicação da política. Todos devem estar cientes de quais práticas serão observadas e o que precisa ser evitado.
 Se for necessário, realize alguns treinamentos e não se esqueça de prever sanções e algumas ações para o descumprimento dos pontos mais importantes.

Sabendo a importância da PSI e como planejá-la, a sua empresa terá todas as condições de maximizar a segurança da informação. Assim, ficará fácil garantir que o seu negócio esteja sempre protegido! A Introduce possui um time de especialistas em segurança da informação com experiência em mais de 600 projetos de PSI.

Conte com a gente e fale com um dos nossos consultores para entender como vamos ajudar a proteger suas informações e a continuidade do seu negócio.
 Sucesso!

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Outros artigos: