Insights para sua Transformação Digital

7 formas de modernizar sistemas legados

Apesar de todo o engajamento das empresas na Transformação Digital, com o uso de tecnologias como o Cloud Computing para impulsionar os negócios, para algumas organizações passar por esses avanços ainda é um desafio.

Isso porque algumas empresas ainda contam com sistemas de hardware ou software desatualizados, outras ainda estão no processo de adaptação ao novo cenário, o que é totalmente compreensível, considerado a velocidade em que as mudanças estão acontecendo.

Pensar na modernização dos sistemas é extremamente importante na era da informação, já que, tecnologias obsoletas podem colocar em risco a segurança de TI da empresa, gerar um fluxo de trabalho mais denso, lentidão nos processos, falhas nos sistemas, incompatibilidade dos programas, baixa produtividade, incapacidade de suporte dos sistemas, entre outros.

Esses são apenas alguns dos gargalos que os sistemas legados podem trazer para uma organização que deseja modernizar. Assim, embora esses sistemas ainda consigam atender às necessidades inicias de uma empresa, com a Transformação Digital, é preciso contar com soluções mais modernas, flexíveis, de fácil manutenção e que caminhem no ritmo das mudanças e atendam às demandas da nova era digital.

Nesse sentido, ao mesmo tempo em que as organizações precisam se adaptar às novas dinâmicas do mercado e acompanhar o ritmo da era digital para manter ou impulsionar os negócios, também precisam de estratégias, seja para modernizar os sistemas legados seja para migrar para modelos mais modernos.

Saiba mais sobre os sistemas legados e confira 7 formas de planejar a modernização desses sistemas a seguir.

Quais são os indícios de um sistema legado?

Os sistemas legados são aqueles que contam com tecnologias já ultrapassadas, que não mais atendem as necessidades de uma organização. Esse atraso se torna ainda mais evidente na atual era da informação, em que agilidade e automação são fatores essenciais.

Um sistema legado pode ser determinado a partir dos seguintes indícios:

  • Baixa capacidade e lentidão: As tarefas levam mais tempo para serem concluídas e os sistemas não suportem uma carga pesada de informação, como a geração de um relatório de dados, por exemplo.
  • Desatualização: O seu sistema não acompanha as necessidades atuais ou não está em conformidade com as funcionalidades das versões mais recentes. O funcionamento depende da atualização.
  • Incompatibilidade: As soluções do sistema de gestão são prejudicadas pela falta de compatibilidade entre os códigos, sistemas e drivers.
  • Falta de escalabilidade: O sistema legado não muda conforme o crescimento da empresa. Ele opera sempre da mesma forma, mesmo com o aumento da demanda.
  • Altos custos de manutenção: Os gastos com manutenção não compensam o baixo retorno das funcionalidades arcaicas.
  • Necessidade de pessoal especializado para operar tecnologias arcaicas: O sistema é operado apenas por algumas pessoas. Isso limita o acesso e causa lentidão no fluxo de atividade, sempre que há ausências ou perdas desses colaboradores, pois é preciso que haja uma mobilização para determinar um substituto ou treinar um novo funcionário.

Quais os benefícios de modernizar os sistemas legados?

Os sistemas legados não atendem às necessidades atuais que requerem tecnologias modernas, tais como Big Data Analytics, computação em nuvem, aprendizado de máquina e inteligência artificial, por exemplo.

Isso já é um bom motivo para modernizá-los, pois essas soluções inovadoras podem melhorar o desempenho dos sistemas e aumentar a competitividade da organização. Os benefícios incluem:

  • Segurança nos sistemas, processos e soluções.
  • Redução de erros.
  • Otimização dos processos e atividades.
  • Redução de custos/maior custo benefício.
  • Melhor tomada de decisão.
  • Melhor experiência do cliente.
  • Melhor performance.
  • Maior confiança nas tecnologias internas utilizadas.

7 formas de modernizar sistemas legados

Para modernizar sistemas legados, o planejamento de conversão deve conter os seguintes elementos essenciais.

Avalie o estado atual dos sistemas

Analise todas as funcionalidades, arquitetura, capacidade, complexidade e riscos dos sistemas com os quais a empresa está trabalhando. Separe todos os sistemas que não acompanham o ritmo das demandas digitais nem o crescimento da empresa para serem modernizados.

Avalie as opções de modernização

Analise as tecnologias com as quais pode contar. Lembre-se de priorizar as que se alinham à estratégia de negócio, valores e cultura da organização. Além disso, é importante avaliar o custo benefício do funcionamento e da arquitetura dos novos recursos. O uso de um TCO (Total Cost of Ownership – Custo Total de Propriedade) é muito válido nessa situação

Realize backup dos dados

Esteja preparado para possíveis falhas no sistema, sem que haja perda de dados. Elabore um relatório de avaliação de risco e um inventário para controle de conformidade.

Realize testes constantes

Certifique-se de que os seus dados não serão extraviados ou perdidos. Teste todas as funcionalidades após cada etapa da migração.

Planeje a modernização junto com o time de negócios

O pensamento de que a Tecnologia da Informação é uma área restrita da empresa já ficou no passado. Agora, mais do que nunca, é preciso pensar no negócio de forma holística, e o modo como a tecnologia é utilizada faz muita diferença no crescimento da organização. Por isso, as áreas tecnologia e negócios devem estar em sincronia.

Comece com pequenas entregas de atualização

Um processo de modernização que requer a substituição ou remoção total dos sistemas pode gerar certa insegurança em alguns líderes diante das primeiras falhas. Por isso, o ideal é fazer uma abordagem incremental, com pequenas entregas de atualização. Isso promove uma melhoria contínua, maior facilidade no monitoramento e mensuração dos resultados.

Não hesite em eliminar sistemas inviáveis

Assim que um sistema for reconhecido como obsoleto e suas funções forem redundantes ou inviáveis para a organização, não hesite em fazer uma substituição total. Isso deve ser feito após uma avaliação minuciosa e apresentar o mínimo possível de impactos no fluxo das atividades.

Se algo não oferece mais valor para a empresa ou se os custos não compensam os resultados, mesmo com a implementação de novas tecnologias, talvez seja o momento de fazer uma substituição total por soluções mais modernas.

Agora que você sabe por onde começar a modernização de sistemas legados é hora de colocar tudo em prática e dar mais um passo na Transformação Digital da sua empresa. Estamos disponíveis em todos os canais de comunicação para esclarecer todas suas dúvidas sobre Transformação Digital.

Compartilhe nas redes sociais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Outros artigos: